O esporte sempre esteve presente na minha vida. Na escola participava dos times de vôlei e futebol, competições de natação, adorava que me chamassem para participar de qualquer time, chegando para jogar handebol, basquete, algumas competições de atletismo, entre outros, mas o que eu sempre gostei mesmo, foi andar de bicicleta.

Fui uma menina criada no interior, ficava solta com minha bike nas ruas do bairro, sendo que uma vez cheguei até a levar uma queda mais feia, batendo a cabeça no asfalto (naquela época não se usava capacete, rs) e cheguei a levar uns pontinhos na cabeça.

Quando me mudei para São Paulo em 2009, encontrei na bike para me exercitar, passear e conhecer a cidade. Comecei a pedalar aos finais de semana e com grupos de pedal noturno 1 ou 2x na semana. Em 2016 comecei a participar de algumas competições e uma amiga me chamou para uma prova de triathlon, a Troféu Brasil em Santos. Na época eu só pedalava e de forma bem leve, tive apenas 3 meses para colocar em prática 3 modalidades, tive que retornar a natação (que foi a parte mais difícil, pois eu só havia treinado técnica de natação na infância), e também introduzi a corrida no meu dia a dia.

Fui e fiz a minha primeira prova de triathlon no final de 2016, com minha mountain bike, que nem é a bicicleta apropriada nessa modalidade. Me diverti bastante, gostei, e então ganhei de presente do meu marido uma bike de estrada em 2017( também chamada road bike) , decidi começar a treinar em uma assessoria e participar de algumas provas de short triathlon, bem como de competições de corrida de aventura( modalidade que envolve vários esportes dentre eles trekking, canoagem, mountain bike, rapel, etc.)

imagem: arquivo pessoal

Em 2018 eu comecei a participar de competições de Cross triathlon (o XTERRA) e me apaixonei, conseguindo excelentes resultados, como 1º e 2º lugares na categoria em que competia. Em 2019 na etapa mundial do Xterra Brasil em Ilhabela eu me qualifiquei para participar do mundial do Xterra no Havaí, pois fiquei em 1º lugar da minha categoria, e lá fui eu foi uma das Experiências mais fantásticas que eu já vivi, que foi participar de uma prova de nível mundial, naquele lugar maravilhoso e sentir toda a energia daquele momento, saindo de lá com a 9ª colocação na minha categoria.

imagem: arquivo pessoal
imagem: arquivo pessoal

Em 2020, esse ano atípico que vivemos, acabei abandonando o Cross Triathlon, deixei de nadar pois as piscinas estavam todas fechadas e também pela ausência de competições (eu adoro me desafiar). Soube através de um amigo, de um desafio chamado Everesting, que consiste em escolher um segmento de subida, e fazer quantas vezes fossem necessárias até completar a altimetria do Monte Evereste, que são 8848m. Me dediquei a pedalar ainda mais, me propus a fazer, e mesmo pegando COVID há um mês antes da data planejada, conclui esse feito no dia 19/12/20 no trecho conhecido como subida da Roberta, na região de Santana de Parnaíba, entrando para o Hall da fama do Desafio, estando entre os 64 brasileiros que completaram o Everesting de bike, sendo a 6ª mulher brasileira a completar. Foram 16h30min pedalando, num total de cerca de 21 horas de desafio

Na bike eu encontrei a paixão de poder descobrir e conhecer lugares diferentes, que certamente não conheceria se não fosse através dela. Amo pedalar e sentir a liberdade que a bike me proporciona.

Por eu ser profissional da área da saúde, eu sei bem da importância da atividade física no dia a dia, pois ela traz inúmeros benefícios a nossa vida, corpo e mente. Mas essa não é uma realidade para a grande maioria dos meus colegas de profissão, sejam dentistas ou outras áreas ligada à saúde, pois a grande maioria não tira um tempo pra se exercitar, mesmo sabendo da importância disso.

Muitas vezes pacientes e amigos me perguntam: – Van, como você consegue fazer tanta coisa num dia só? Pedala, atende, pilates. A resposta é sempre a mesma: ROTINA E DISCIPLINA. Rotina não tem nada a ver com monotonia, é a organização do seu dia, para que você consiga fazer tudo o que se propõe a fazer. Disciplina é a capacidade de seguir determinada coisa, independente das adversidades.

Minha rotina diária é mais ou menos assim:

5h- acordo😴
5:20h- lanche rápido 🍌🥤
5:35h – treino de bike 🚴🏽‍♀️
7:20h – volta pra casa + banho + café da manhã
8:15h saída pro trabalho 🚗
9-19h – atendimentos consultório 😷🦷
20h – chegada em casa – banho
21h- jantar + TV
22:30h Dormir 🛏 💤

Bora aplicar a disciplina na rotina! Essa sou eu… O que eu me proponho a fazer, eu faço com afinco e dedicação, não existe meio termo, seja na minha profissão, no esporte e na vida… e é isso que me motiva e me faz feliz!

Me chamo Vanessa, tenho 36 anos (quase 37, rs, já que faço aniversário dia 24/2), sou dentista, natural de São José do Rio Preto-Sp, mas resido em São Paulo há 11 anos. Eu simplesmente amo pedalar!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like
Leia mais

O SONHO É GIGANTE, MAS MINHA INTENÇÃO É MAIOR AINDA.

O meu sonho e propósito nesta jornada é gerar caminhos sustentáveis para qualidade de vida e prosperidade às pessoas que vivem na periferia, gerar conscientização ambiental, posicionamento critico e amplo sobre as possibilidades da vida. Que toda criança periférica tenha acesso às artes, esportes, filosofia, tecnologia e principalmente desenvolvam confiança e auto-promoção.