Natação, ginástica olímpica, ballet e diversos estilos de dança, musculação, muay thai, corrida, surf, são alguns dos exemplos de esportes que eu pratiquei ao longo dos meus 32 anos.

Se foi mais fácil por ser filha de dois esportistas?! Provavelmente sim. A apresentação do esporte na minha vida veio desde muito cedo, antes mesmo de andar eu já era um bebê ativo na natação. Ao longo dos anos, o esporte se faz mais que presente na minha rotina, é vital pra mim! E é sobre isso que venho falar com vocês hoje.

Além de experenciar a boa qualidade de vida que o esporte me proporciona, como médica, e, portanto, como porta voz da ciência, há garantias dos inúmeros benefícios.

imagem: reprodução/instagram @drapatriciamoll

Os benefícios da prática regular da atividade física não é de hoje. Aapesar de estar tão em evidência, historicamente, os homens foram nômades e caçadores durante milhares de anos de evolução. Uma vida um tanto ativa, com prática regular de atividade e uma capacidade de adaptação funcional e estrutural ao exercício que nenhum outro ser possui.

Com o passar do tempo, houve redução importante da quantidade de atividade física na vida diária, devido aos sistemas de automação no trabalho e ao transporte motorizado. Como consequência dessa diminuição do exercício físico no cotidiano do homem, houve uma redução da forma física na população do mundo industrializado, com aumento simultâneo do predomínio das doenças cardiovasculares como causa de morte e incapacidade durante a vida. 

Isso indica que a mudança para um estilo de vida sedentário é prejudicial para o indivíduo e potencialmente oneroso para a sociedade. Sem dúvida, os dados epidemiológicos indicam claramente os efeitos benéficos do exercício físico na prevenção da doença coronariana. Há evidentes melhoras do perfil lipídico do sangue, mantêm a pressão arterial dentro de limites seguros, controla o peso corporal, contribui ainda para a prevenção e controle do diabetes, para a manutenção da densidade óssea, além de prevenir e contribuir nos transtornos mentais como ansiedade e depressão, ou seja há uma diminuição global da mortalidade por todas as causas.

Artigos científicos e diretrizes são publicadas de forma cada vez mais frequentes para orientações nas abordagens e manejo de doenças crônicas e adivinhem quem está sempre presente como tratamento não farmacológico? Sim! O exercício físico! 

Contextualizando com os tempos atuais, em meio a pandemia que estamos vivendo, em 2020, onde o tema saúde fez parte de todas as conversas, presenciais ou on-line, a Organização Mundial da Saúde, OMS, veio reforçar a população a inegável importância da prática regular de exercício físico como um dos pilares da saúde. Foi publicado uma diretriz, que para início de conversa, é citado que 5 milhões de mortes por ano poderiam ser evitadas se a população em todo o mundo fosse mais ativa. Nessa nova orientação é reforçado a uma prática ainda maior de exercício físico semanais, de 150-300 minutos.

Exercício físico é para todos! As recomendações incentivam as mulheres a manter atividades físicas regulares durante a gravidez e após o parto. Pessoas idosas (com 65 anos ou mais) são aconselhadas a adicionar atividades que foquem no equilíbrio e coordenação, bem como no fortalecimento muscular para ajudar a prevenir quedas e melhorar a saúde. Também destacam os valiosos benefícios à saúde da atividade física para pessoas que vivem com incapacidades. 

O exercício físico regular pode contribuir para a melhora da saúde a permitir aos indivíduos uma vida mais produtiva e mais agradável. E afinal, é isso que almejamos: uma vida com qualidade em todos os aspectos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *