Pagamos boletos, pagamos impostos, pagamos dívidas…até micos pagamos!

Imagem: reprodução/instagram – @cancelaoshake – Isa Danelucci

Em que momento deixamos para trás a brincadeira de pega-pega, esconde-esconde, pular corda, jogar queimada, andar de bicicleta? A atividade física na infância era nossa distração, nosso momento de lazer. Não contávamos calorias perdidas, minutos ou quilômetros percorridos. Não existia a conta de quantidade de exercício físico versus a quantidade de comida ingerida ou o controle da própria fome. 

Bebíamos o leite enquanto bebês até o quanto necessitávamos. A fome e a saciedade existiam automaticamente e não precisávamos que ninguém nos ensinasse. A atividade física aprendemos antes mesmo de falar: chacoalhar um brinquedo, sentar e levantar… até dançar!

Mas aí fomos deseducadas

Quantas vezes vimos as mulheres adultas da família brigando com o próprio corpo? Trocando dietas desastrosas umas com as outras. Quantas vezes você as viu justificando seu prato e seu peso a todos? Desejando um corpo de 10, 20, 30 anos atrás? 

Deseducadas através do exemplo e do amadurecimento. A menina que praticava esportes teve que parar pois estava ficando muito forte. Teve que parar porque o ambiente estava ficando cada vez mais masculino. As meninas foram trocando o lazer pelas obrigações domésticas enquanto eles se mantinham intocáveis em seus esportes. 

E assim vamos “pagando” simplesmente por sermos do gênero feminino

Logo no início da adolescência a preocupação é com a primeira menstruação. Será que iremos parar de crescer e começar a engordar? E encontrar alguém para casar. E depois engravidar, e engordar mais um pouco. A principal preocupação é essa e não sobre o que estudar, no que trabalhar e como construir um futuro saudável para si própria. 

O “tá pago” aparece como um jogo que você ganha se perde e perde se ganha: o peso na balança

E esse peso você carrega nas costas pois aprendemos que somos responsáveis únicas pelas suas variações numéricas. E o peso dobra quando cresce pois, além do corpo, sua mente também vai carregá-lo diariamente. 

Importante revisitar o passado e lembrar do porquê a atividade física naquela época era mais prazerosa do que hoje em dia. Se nos reeducarmos a sentir o prazer do exercício, sem punição, sem a obsessão do emagrecimento e outras exigências estéticas, poderemos reencontrar a essência daquela criança que ficou esquecida dentro de você. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.